Descubra Agora Como Economizar Dinheiro Com Incentivos Fiscais Blog - Nacional Contabilidade

Como sua empresa pode economizar dinheiro com incentivos fiscais

Descubra agora como economizar dinheiro com incentivos fiscais!

Sua empresa pode contar com meios oficiais para economizar dinheiro com incentivos fiscais.

A fim de conseguir se beneficiar dos recursos e oportunidades disponíveis, você precisa de um planejamento tributário adequado. Para tanto, é necessário conhecer os incentivos fiscais oferecidos pelo governo.

Não perca seu tempo e a chance de economizar recorrendo aos incentivos fiscais!

Eles existem para isso, para fomentar os negócios e empreendimentos, bem como para financiar projetos sociais que beneficiam a sociedade.

Quer saber como usar os incentivos fiscais e como impulsionar seu empreendimento? Vejamos como fazer isso!

Conheça os principais incentivos fiscais

Para economizar dinheiro com incentivos fiscais, o planejamento tributário de sua empresa não pode ser negligente em ponto algum.

O caminho é conhecer os incentivos fiscais disponibilizados nos níveis federais, estaduais e municipais. Em seguida, escolha, dentre eles, o que mais benefícios lhe propiciará.

Os incentivos fiscais federais se limitam às empresas com tributação pelo Lucro Real, se esse é o seu caso, verifique a conveniência de utilizá-lo.

Os impostos federais mais conhecidos são a Lei do Incentivo ao Esporte e a Lei do Audiovisual. Além desses, há o RECAP útil para a compra de Bens de Capital para Empresas Exportadoras.

Estude as vantagens e as conveniências de cada incentivo para a realidade de seu empreendimento.

Para outros regimes de tributação, existem outros tipos de incentivos fiscais, sendo, desse modo, possível estudar os incentivos estaduais e municipais.

Sabe-se que algumas regiões do país e até mesmo grandes estados do Brasil carecem de investimentos financeiros.

As necessidades locais e regionais determinam as políticas públicas e a concessão de incentivos que não são cumulativos. 

Antes de iniciar seu empreendimento, fique por dentro disso, pois seu empreendimento poderá usufruir ou não de determinados benefícios, a depender do local, que ajudarão a direcionar suas decisões.

Vantagens conferidas pelos incentivos fiscais:

  • Competitividade;
  • Redução de carga tributária e ampliação da margem de lucro;
  • Atração do interesse de bons profissionais.

A Secretaria Municipal da Fazenda é quem pode informar os municípios que oferecem redução ou isenção de impostos. Um incentivo fiscal bastante comum nesses casos é a redução de IPTU.

Além dos incentivos fiscais disponíveis nas três esferas, sua empresa poderá economizar dinheiro com incentivos fiscais através dos incentivos setoriais.

Dois incentivos fiscais setoriais bastante conhecidos são a Lei de Inovação Tecnológica e a Lei Rouanet.

Se sua empresa tiver as condições ideais para se beneficiar de um incentivo fiscal especificamente, é a hora de economizar dinheiro com incentivos fiscais.

Conclusão

Algumas empresas perdem a oportunidade de economizar com tributação e de investir em desenvolvimento por falta de pesquisa e de informação.

Acompanhe a evolução de seus negócios e avalie as particularidades de sua empresa. Essa prática pode ser crucial para uma estratégia eficaz na hora de garantir benefícios.

Estimule seus negócios e sua equipe mantendo seu negócio competitivo. A dinâmica interna e a externa são complementares e precisam manter-se em equilíbrio. Um negócio gerenciado gera visibilidade, desperta atenção e fala por si, economizando publicidade.

Como anda o planejamento tributário de sua empresa? Precisando revê-lo, conte com nossa assessoria e com a experiência de nossa equipe.

CLIQUE AQUI E FALE JÁ COM OS NOSSOS ESPECIALISTAS PARA MAIS INFORMAÇÕES!

Descubra Agora Se A Sua Empresa Precisa Emitir O Dctf Blog - Nacional Contabilidade

COMO SABER SE SUA EMPRESA DEVE EMITIR O DCTF

Descubra agora se a sua empresa precisa emitir o DCTF

Emitir o DCTF (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) é um requerimento direto da União aos empresários brasileiros. 

É nesse documento que há as informações relativas aos tributos e às contribuições, que passam pelo processo de apuramento pela pessoa jurídica mensalmente.

Não são todas as empresas que devem emitir e pagar esse documento; dessa maneira, nem todas se enquadram no requisito de inatividade, sobre o que, aliás, falaremos um pouco no texto.

Esse documento exige muita atenção e uma análise minuciosa, afinal são muitos os tributos inclusos.

Para entender, continue neste texto aqui com a gente!

Tributos e contribuições que estão no DCTF

O DCTF é um documento muito importante que, aliás, conta com algumas contribuições e com alguns tributos.

Veja abaixo:

  • IRPJ;
  • IRRF;
  • IPI;
  • IOF;
  • CSLL;
  • PIS/Pasep;
  • COFINS;
  • CPMF;
  • CIDE COMBUSTÍVEL;
  • CIDE REMESSA;
  • CPSS;
  • CPRB.

Esses são alguns dos tributos que você encontra indexados na hora de emitir o DCTF.

Quem é que deve emitir esse documento? Como saber se a minha empresa precisa realizar tal feito?

No que diz respeito a essas questões, é importante saber que qualquer empresa que esteja dentro do Lucro Real e do Lucro Presumido deve emitir o DCTF.

Além disso, empresas que fazem parte do Simples Nacional e que também tenham a possibilidade de INSS sobre a totalidade da receita também devem emitir.

A DCTF deve ser entregue, anualmente, no mês de janeiro.

Nessa perspectiva, é muito importante saber que algumas unidades que fazem a gestão de orçamento público também devem emitir, como:

  • Autarquias;
  • Fundações;
  • Consórcios que fazem negócios jurídicos. 

Dessa maneira, se a sua empresa tem uma personalidade jurídica, como uma autarquia, você se enquadra nos quesitos. 

Mas e quem não paga o DCTF? Como e quando eu devo fazer o DCTF?

No bloco acima, nós falamos sobre quem paga, mas também existe uma pequena lista de quem não paga:

  • Órgãos públicos de administração;
  • Empresa e pessoas jurídicas que estão começando na atividade;
  • Empresas inativas ou que tenham débitos para realizar declaração.

Essa é a lista de quem não deve emitir o DCTF.

O documento deve ser feito através do PGD (Programa Gerador de Declaração) e encaminhado pela internet, utilizando o programa Receitanet.

Contudo, para que a declaração seja transmitida com sucesso, é preciso que você tenha um certificado digital. 

Nesse sentido, no que diz respeito às pessoas jurídicas e ao processo de emitir o DCTF, elas devem apresentar até o 15º dia útil do 2º mês subsequente ao mês de ocorrência.

Conclusão

É muito importante que você esteja atento aos detalhes a fim de não ter que retificar informações.

Afinal, enquanto isso acontece, o tempo está correndo.

Nesse viés, é muito importante, também, que não exista omissão ou atraso da declaração.

Sendo assim, esteja atento às datas, às informações e a todos os quesitos requeridos para emitir o DCTF. Conte conosco e não tenha problemas!

PRESSIONE AQUI AGORA MESMO E FALE JÁ CONOSCO PARA MAIS INFORMAÇÕES!

Fique Ciente Acerca Dos Tributos Sobre O Lucro De Sua Empresa E Como Eles Incidem Blog - Nacional Contabilidade

Tributos sobre o lucro: Sua empresa está fazendo isso do jeito certo?

Fique ciente acerca dos tributos sobre o lucro de sua empresa e como eles incidem

Manter-se atento em relação aos tributos sobre o lucro faz com que sua empresa não tenha problemas com as questões envolvendo a tributação

Ao abrir um negócio, é importante identificar os tributos sobre o lucro de sua empresa, visto que o Brasil dispõe de uma pesada carga.

Primeiramente, é preciso analisar qual será o enquadramento para que seja pago apenas o valor devido.

Empreender exige que seu empreendimento seja submetido a um planejamento tributário para manter-se em situação regular diante das obrigações fiscais e contas a pagar.

Do contrário, poderá enfrentar problemas, como sonegação fiscal e colocar todo o investimento a perder, comprometendo, então, a saúde financeira de sua empresa.

Sendo assim, para você ficar ciente de todas as incidências dos tributos sobre o lucro, preparamos este artigo.

Portanto, esperamos ajudá-lo da melhor maneira.

Siga conosco até o final e tenha uma excelente leitura!

Como ficar a par dos tributos sobre o lucro e sobre o que eles incidem

A definição do valor a ser pago leva em conta algumas peculiaridades. São elas: o porte do empreendimento, a área de atuação e o regime tributário adotado.

Contudo, 7 desses impostos incidem sobre todas as empresas, independentemente de qual a sua atividade econômica:

  • Imposto de Renda da Pessoa Jurídica;
  • Contribuição Social sobre o Lucro Líquido;
  • ICMS;
  • COFINS;
  • Contribuição à Previdência Social;
  • Contribuição ao PIS/PASEP;
  • Imposto sobre Serviços.

Na sequência deste material, vamos conhecer os impostos direcionados à esfera federal. Acompanhe!

Imposto sobre Operações Financeiras

O IOF incide sobre operações de crédito, seguros e câmbio. E ocorre da mesma maneira para pessoas físicas e jurídicas.

Imposto sobre Produtos Industrializados

O IPI é um imposto pago por comerciantes, importadores e proprietários de indústrias. É cobrado por meio das mercadorias.

Imposto de Renda da Pessoa Jurídica

O IRPJ incide sobre a arrecadação bruta das organizações de qualquer porte ou regime tributário.

Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural

O ITR é referente aos proprietários rurais, sejam eles pessoas jurídicas ou físicas.

Contribuição ao Instituto Nacional da Seguridade Nacional

Este é o INSS, que garante aos contribuintes a aposentadoria social e vários outros benefícios previdenciários.

Contribuição ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço

O FGTS incide sobre os vencimentos dos funcionários registrados pela CLT, e o seu valor é sacado no ato de demissão ou em casos permitidos pelo governo.

Contribuição para Financiamento da Seguridade Social

Todas as empresas no país precisam recolher o Cofins, que é revestido aos programas da seguridade social e saúde pública.

Existem, ainda, os seguintes impostos:

Conte com a Nacional Contabilidade

Não é à toa que os empresários brasileiros reclamam tanto da carga tributária do país, afinal, a incidência dos tributos sobre o lucro é evidente e se estende além da esfera federal, a qual detalhamos neste artigo, como as esferas municipais e estaduais.

Em concordância ou não, os gestores precisam manter os impostos pagos para evitar problemas junto à fiscalização federal e também para manter o seu negócio organizado, de acordo com as exigências.

Essa é uma preocupação de empreendedores, que, em muitos casos, optam por terceirizar os setores contábil e fiscal, depositando-os nas mãos de profissionais competentes e experientes.

Contar com profissionais qualificados, inclusive, pode ser um dos diferenciais de sua empresa, visto que disponibilizarão de estratégias e recursos eficientes para prestar o devido suporte e orientar sobre todas as questões referentes à tributação.

Portanto, não hesite em contar com a Nacional Contabilidade para auxiliar em sua gestão.

Entre em contato conosco para saber mais sobre como podemos te ajudar!

Ter uma gestão tributária eficiente em minha empresa!

VOCE SABIA QUE A SUA EMPRESA PODE FAZER UM LEVANTAMENTO DE CREDITOS TRIBUTARIOS - POST (1)

Levantamento de créditos tributários: recupere o que é seu

Descubra porque você deve fazer o levantamento de créditos tributários da sua empresa

Faça o levantamento de créditos tributários da sua empresa e garanta todas as vantagens que esse processo pode oferecer

Você sabia que o levantamento de créditos tributários apura se o governo está devendo dinheiro à sua empresa?

Esse levantamento começa com a seleção do período a ser analisado e a definição das bases de cálculo dos principais tributos. 

Com isso, os procedimentos são revisados com o objetivo de identificar possibilidades de crédito.

Afinal, uma estrutura tributária mal organizada pode fazer com que sua empresa pague mais em impostos sem necessidade.

Esse levantamento poderá apresentar valores surpreendentes que você paga ao governo sem a menor necessidade

Quer saber mais? Continue a leitura!

Levantamento de créditos tributários

Você pode até não saber, mas devido a alguns fatores, é muito comum que algumas empresas acabem pagando muitos impostos.

Elas pagam mais tributos do que realmente precisam e acabam gerando créditos tributários. 

No entanto, não há necessidade de se preocupar, pois é perfeitamente possível restituir esses valores por meio do levantamento de créditos tributários.

Esse levantamento é uma investigação cujo objetivo é verificar:

  • Os impostos que foram pagos em negócios anteriores; 
  • Os impostos que não podem ser pagos;
  • E se existem erros nesses processos.

Esse procedimento pode identificar oportunidades favoráveis ​​à sua empresa, como benefícios ou recursos não utilizados. 

Além disso, esse cálculo garante um possível retorno financeiro, dependendo da diferença entre o valor pago e o crédito disponível e não utilizado.

Vale ressaltar que esse procedimento não deve ser considerado como de pequeno impacto para a empresa. 

Já do lado financeiro, você pode reduzir os riscos de multas, sanções e autuações. 

Cálculos realizados durante investigações tributárias e fiscais podem revelar hábitos incorretos de cobrança que podem ter surgido durante as fiscalizações federais.

Como fazer o levantamento de créditos tributários?

O levantamento de créditos tributários é uma atividade que envolve a captação e o resgate desses créditos acumulados pela empresa ao longo dos anos.

É necessário realizar pesquisas aprofundadas e levantamentos de dados para que seja possível identificar corretamente todos os créditos recuperáveis.

É muito importante contar com equipes fiscais e contábeis para realizar essa tarefa. 

Vale ressaltar também que toda instituição paga tributos, independente do porte.

Ou seja, para garantir que esses tributos estejam sempre em dia e que as devidas informações enviadas à Receita Federal estejam corretas, é necessário o levantamento dos créditos tributários.

Essa etapa é muito relevante, visto que sua implantação reduz a carga tributária da empresa. 

Essa redução ajudará a instituição a melhorar sua competitividade no mercado, além de sua própria viabilidade.

Além disso, o dinheiro economizado com impostos pode ser usado para construir um fundo de reserva ou para novos investimentos de crescimento.

Conte com o suporte de uma contabilidade!

O levantamento de créditos tributários se dá quando os contribuintes, pessoas físicas ou jurídicas, possuem o direito de recuperar impostos pagos indevidamente.

Essa recuperação dos créditos tributários ocorre nas esferas administrativa e judicial. 

A recuperação é um direito legalmente garantido e as empresas devem estar atentas a todas as possibilidades. 

Recuperar crédito é uma forma de otimizar sua situação financeira e você pode restituir pagamentos a maior.

Sendo assim, entre em contato conosco para obter o suporte de uma contabilidade capacitada para te ajudar com o levantamento de créditos tributários.

QUERO ENTRAR EM CONTATO!

DESCUBRA AGORA QUAL E A IMPORTANCIA DO PLANEJAMTNO TRIBUTARIO PARA A SUA EMPRESA + POST (1)

Planejamento tributário: o caixa da sua empresa agradece!

Descubra agora por que o planejamento tributário é tão importante!

Descubra agora mesmo o que um bom planejamento tributário pode fazer pela sua empresa

O planejamento tributário é necessário devido a complexa carga tributária que incide sobre as empresas brasileiras.

Este planejamento engloba um conjunto de sistemas legais com o objetivo de diminuir o pagamento de tributos.

E mesmo no Simples Nacional, muitas dúvidas surgem na hora de cumprir com as obrigações fiscais, por isso, o planejamento é necessário.

Dessa forma, é preciso que você, empresário, saiba que são muitas as regras a serem respeitadas e que você ficará sujeito a multas caso não planeje o pagamento dos tributos. 

Assim, além de contar com um contador, é preciso que você conheça pelo menos o básico.

Portanto, aproveite a leitura deste texto!

Planejamento tributário – o que é? 

O planejamento tributário é a gestão da receita tributária de uma empresa e também o estudo da lei para reduzir sua carga tributária. 

Assim como os administradores gerenciam estoques, vendas, recursos humanos e outras áreas, o cumprimento das obrigações fiscais também deve ser administrado de forma organizada.

Nos dias de hoje, temos quatro grandes regimes de tributação no Brasil:

A gestão operacional trata-se dos conhecimentos e procedimentos básicos estabelecidos em sua empresa para atender todos os requisitos legais. 

Ou seja, para cumprir a correta escrituração dos processos e o pagamento dos impostos em dia, é necessário incluir essas tarefas na rotina de trabalho e alinhá-las com a equipe de contabilidade.

Já a gestão do planejamento tributário estratégico torna os planos operacionais possíveis, mas, para isso, você deve primeiro desenvolver uma estratégia.

Isso tudo se dará por meio da classificação da empresa no sistema tributário mais conveniente e uma compreensão de outros conhecimentos específicos de impostos, dependendo da indústria, estrutura de capital, localização geográfica, recrutamento de recursos humanos, entre outros. 

Por que o planejamento tributário é tão importante?

Em outras palavras, ao contrário do que muitos acreditam, o planejamento tributário é mais que apenas cumprir as obrigações em dia e registrar receitas e despesas em meio eletrônico. 

Estamos falando de planos que envolvem entender, analisar, pesquisar e verificar todos os formulários fiscais existentes relacionados ao seu negócio. 

É importante lembrar que o planejamento tributário não é exclusividade das grandes empresas.

De pequenas a grandes empresas com subsidiárias no Brasil, todas podem usar o planejamento tributário como uma ferramenta de redução de impostos, simplesmente realizando essa análise e gestão tributária. 

O que muda é como aplicar esse plano e, independentemente do tamanho da organização, é possível que ela se encaixe em uma dessas duas grandes esferas nas quais a gestão de tributos pode ser aplicada. 

Como ter certeza de que estou realizando o processo da forma correta?

O planejamento tributário é um método em conformidade com a lei que visa reduzir a carga tributária das pessoas jurídicas. 

Ou seja, trata-se de um estudo realizado antes da realização do fato gerador e, na maioria dos casos, a escolha deve ser feita entre a escolha do melhor imposto para a empresa. 

No entanto, é preciso ter cuidado para não confundir esse tipo de análise com sonegação fiscal, pois o plano é escolher entre duas ou mais opções legais para minimizar os custos tributários. 

Tenha o suporte de uma contabilidade!

Não sabe como realizar um plano tributário da forma correta e, assim, evitar problemas relacionados à sonegação de impostos?

Então a melhor alternativa é contar com uma contabilidade que ofereça um serviço de planejamento tributário de qualidade!

Os profissionais dessa área podem realizar todos os processos mencionados no artigo e garantir as vantagens que o seu negócio merece!

Por isso, não perca mais tempo e entre em contato conosco agora mesmo para obter o suporte de quem entende do assunto!

QUERO ENTRAR EM CONTATO!