Descubra Agora Como Economizar Dinheiro Com Incentivos Fiscais Blog - Nacional Contabilidade

Como sua empresa pode economizar dinheiro com incentivos fiscais

Descubra agora como economizar dinheiro com incentivos fiscais!

Sua empresa pode contar com meios oficiais para economizar dinheiro com incentivos fiscais.

A fim de conseguir se beneficiar dos recursos e oportunidades disponíveis, você precisa de um planejamento tributário adequado. Para tanto, é necessário conhecer os incentivos fiscais oferecidos pelo governo.

Não perca seu tempo e a chance de economizar recorrendo aos incentivos fiscais!

Eles existem para isso, para fomentar os negócios e empreendimentos, bem como para financiar projetos sociais que beneficiam a sociedade.

Quer saber como usar os incentivos fiscais e como impulsionar seu empreendimento? Vejamos como fazer isso!

Conheça os principais incentivos fiscais

Para economizar dinheiro com incentivos fiscais, o planejamento tributário de sua empresa não pode ser negligente em ponto algum.

O caminho é conhecer os incentivos fiscais disponibilizados nos níveis federais, estaduais e municipais. Em seguida, escolha, dentre eles, o que mais benefícios lhe propiciará.

Os incentivos fiscais federais se limitam às empresas com tributação pelo Lucro Real, se esse é o seu caso, verifique a conveniência de utilizá-lo.

Os impostos federais mais conhecidos são a Lei do Incentivo ao Esporte e a Lei do Audiovisual. Além desses, há o RECAP útil para a compra de Bens de Capital para Empresas Exportadoras.

Estude as vantagens e as conveniências de cada incentivo para a realidade de seu empreendimento.

Para outros regimes de tributação, existem outros tipos de incentivos fiscais, sendo, desse modo, possível estudar os incentivos estaduais e municipais.

Sabe-se que algumas regiões do país e até mesmo grandes estados do Brasil carecem de investimentos financeiros.

As necessidades locais e regionais determinam as políticas públicas e a concessão de incentivos que não são cumulativos. 

Antes de iniciar seu empreendimento, fique por dentro disso, pois seu empreendimento poderá usufruir ou não de determinados benefícios, a depender do local, que ajudarão a direcionar suas decisões.

Vantagens conferidas pelos incentivos fiscais:

  • Competitividade;
  • Redução de carga tributária e ampliação da margem de lucro;
  • Atração do interesse de bons profissionais.

A Secretaria Municipal da Fazenda é quem pode informar os municípios que oferecem redução ou isenção de impostos. Um incentivo fiscal bastante comum nesses casos é a redução de IPTU.

Além dos incentivos fiscais disponíveis nas três esferas, sua empresa poderá economizar dinheiro com incentivos fiscais através dos incentivos setoriais.

Dois incentivos fiscais setoriais bastante conhecidos são a Lei de Inovação Tecnológica e a Lei Rouanet.

Se sua empresa tiver as condições ideais para se beneficiar de um incentivo fiscal especificamente, é a hora de economizar dinheiro com incentivos fiscais.

Conclusão

Algumas empresas perdem a oportunidade de economizar com tributação e de investir em desenvolvimento por falta de pesquisa e de informação.

Acompanhe a evolução de seus negócios e avalie as particularidades de sua empresa. Essa prática pode ser crucial para uma estratégia eficaz na hora de garantir benefícios.

Estimule seus negócios e sua equipe mantendo seu negócio competitivo. A dinâmica interna e a externa são complementares e precisam manter-se em equilíbrio. Um negócio gerenciado gera visibilidade, desperta atenção e fala por si, economizando publicidade.

Como anda o planejamento tributário de sua empresa? Precisando revê-lo, conte com nossa assessoria e com a experiência de nossa equipe.

CLIQUE AQUI E FALE JÁ COM OS NOSSOS ESPECIALISTAS PARA MAIS INFORMAÇÕES!

Descubra Agora Se A Sua Empresa Precisa Emitir O Dctf Blog - Nacional Contabilidade

COMO SABER SE SUA EMPRESA DEVE EMITIR O DCTF

Descubra agora se a sua empresa precisa emitir o DCTF

Emitir o DCTF (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) é um requerimento direto da União aos empresários brasileiros. 

É nesse documento que há as informações relativas aos tributos e às contribuições, que passam pelo processo de apuramento pela pessoa jurídica mensalmente.

Não são todas as empresas que devem emitir e pagar esse documento; dessa maneira, nem todas se enquadram no requisito de inatividade, sobre o que, aliás, falaremos um pouco no texto.

Esse documento exige muita atenção e uma análise minuciosa, afinal são muitos os tributos inclusos.

Para entender, continue neste texto aqui com a gente!

Tributos e contribuições que estão no DCTF

O DCTF é um documento muito importante que, aliás, conta com algumas contribuições e com alguns tributos.

Veja abaixo:

  • IRPJ;
  • IRRF;
  • IPI;
  • IOF;
  • CSLL;
  • PIS/Pasep;
  • COFINS;
  • CPMF;
  • CIDE COMBUSTÍVEL;
  • CIDE REMESSA;
  • CPSS;
  • CPRB.

Esses são alguns dos tributos que você encontra indexados na hora de emitir o DCTF.

Quem é que deve emitir esse documento? Como saber se a minha empresa precisa realizar tal feito?

No que diz respeito a essas questões, é importante saber que qualquer empresa que esteja dentro do Lucro Real e do Lucro Presumido deve emitir o DCTF.

Além disso, empresas que fazem parte do Simples Nacional e que também tenham a possibilidade de INSS sobre a totalidade da receita também devem emitir.

A DCTF deve ser entregue, anualmente, no mês de janeiro.

Nessa perspectiva, é muito importante saber que algumas unidades que fazem a gestão de orçamento público também devem emitir, como:

  • Autarquias;
  • Fundações;
  • Consórcios que fazem negócios jurídicos. 

Dessa maneira, se a sua empresa tem uma personalidade jurídica, como uma autarquia, você se enquadra nos quesitos. 

Mas e quem não paga o DCTF? Como e quando eu devo fazer o DCTF?

No bloco acima, nós falamos sobre quem paga, mas também existe uma pequena lista de quem não paga:

  • Órgãos públicos de administração;
  • Empresa e pessoas jurídicas que estão começando na atividade;
  • Empresas inativas ou que tenham débitos para realizar declaração.

Essa é a lista de quem não deve emitir o DCTF.

O documento deve ser feito através do PGD (Programa Gerador de Declaração) e encaminhado pela internet, utilizando o programa Receitanet.

Contudo, para que a declaração seja transmitida com sucesso, é preciso que você tenha um certificado digital. 

Nesse sentido, no que diz respeito às pessoas jurídicas e ao processo de emitir o DCTF, elas devem apresentar até o 15º dia útil do 2º mês subsequente ao mês de ocorrência.

Conclusão

É muito importante que você esteja atento aos detalhes a fim de não ter que retificar informações.

Afinal, enquanto isso acontece, o tempo está correndo.

Nesse viés, é muito importante, também, que não exista omissão ou atraso da declaração.

Sendo assim, esteja atento às datas, às informações e a todos os quesitos requeridos para emitir o DCTF. Conte conosco e não tenha problemas!

PRESSIONE AQUI AGORA MESMO E FALE JÁ CONOSCO PARA MAIS INFORMAÇÕES!

Contabilidade Comercial Entenda A Imporatncia Para A Sua Empresa Blog - Nacional Contabilidade

Entenda o que é a contabilidade comercial e quais são os benefícios

Fique por dentro da Contabilidade Comercial

Você sabe o que é uma contabilidade comercial? Aprenda sobre ela lendo o nosso texto!

O‌ ‌meio‌ ‌contábil‌ ‌possui ‌várias‌ ‌especialidades,‌ ‌uma‌ ‌delas‌ ‌é‌ ‌a‌ ‌‌contabilidade‌ comercial.‌ ‌

Ela‌ ‌refere-se‌ ‌ao‌ ‌controle‌ ‌comercial‌ ‌de‌ ‌um‌ ‌empreendimento e abrange‌ ‌principalmente‌ ‌as‌ ‌transações‌ ‌de‌ ‌compra‌ ‌e‌ ‌de venda‌ ‌de‌ ‌mercadorias.‌ ‌

A‌ ‌atividade‌ ‌contábil‌ ‌em‌ ‌si ‌se‌ ‌encarrega‌ ‌de‌ ‌organizar‌ ‌as‌ ‌informações‌ ‌e‌ ‌de informá-las‌ aos‌ órgãos‌ ‌reguladores.‌ ‌

Dessa‌ ‌forma,‌ ‌as‌ ‌empresas‌ ‌mantêm‌ ‌seus‌ ‌procedimentos‌ ‌em‌ ‌dia‌ ‌e‌ ‌mantêm‌ ‌o‌ ‌pleno‌ conhecimento‌ ‌do‌ ‌seu‌ ‌cenário‌ ‌financeiro.‌ ‌

Neste‌ ‌artigo,‌ ‌vamos‌ ‌te‌ ‌ajudar‌ ‌a‌ ‌entender‌ ‌a‌ ‌importância‌ ‌da‌ ‌‌contabilidade‌ ‌comercial‌‌ ‌e‌ ‌suas‌ ‌aplicabilidades.‌ ‌

Convidamos‌ você ‌a‌ ‌ficar‌ ‌por‌ ‌aqui‌ ‌até‌ ‌o‌ ‌final.‌ ‌Boa‌ ‌leitura!‌ ‌

Como‌ ‌funciona‌ ‌a‌ ‌contabilidade‌ comercial?‌

A‌ ‌esse‌ ‌departamento‌, ‌cabe‌ ‌o‌ ‌controle ‌e‌ ‌a‌ ‌análise‌ ‌das‌ ‌transações‌ ‌comerciais‌ ‌de‌ ‌uma‌ ‌empresa.‌ ‌

Esse‌ ‌ramo‌ ‌está‌ ‌diretamente‌ ‌ligado‌ ‌a‌ ‌produtos‌-fins‌ ‌- e‌ ‌não‌ ‌à ‌mão‌ ‌de‌ ‌obra.‌ ‌

A‌ ‌contabilidade‌ ‌geral‌ ‌é‌ ‌incumbida‌ ‌das‌ ‌seguintes‌ ‌funções:‌ ‌

  • Controlar‌ ‌o‌ ‌fluxo‌ ‌de‌ ‌caixa‌; ‌
  • Auxiliar‌ ‌o‌ ‌planejamento‌ ‌tributário‌ ‌e‌ ‌financeiro‌;‌
  • Planejamento‌ ‌da‌ ‌rotina‌ ‌de‌ ‌recolhimento‌ ‌de‌ ‌impostos‌; ‌
  • Folha‌ ‌de‌ ‌pagamento.‌ ‌

Já‌ ‌a‌ contabilidade‌ ‌comercial‌, ‌atua‌ ‌diretamente‌ ‌nas‌ ‌seguintes‌ ‌funções:‌ ‌

  • Compra‌ ‌e‌ ‌venda‌ ‌de‌ ‌mercadorias‌; ‌
  • Tributos‌ ‌sobre‌ ‌compras‌ ‌e‌ ‌sobre vendas‌; ‌
  • Estocagem‌ ‌de‌ ‌mercadorias‌; ‌
  • Descontos‌ ‌e‌ ‌abatimentos‌; ‌
  • Devoluções‌ ‌

Abaixo‌, ‌vamos‌ ‌ter‌ ‌acesso‌ ‌a‌ ‌outros‌ ‌questionamentos‌ ‌que‌ ‌envolvem‌ ‌esse ‌ramo.‌

1-‌ ‌Quais‌ ‌são‌ ‌as‌ ‌peculiaridades‌ ‌da‌ contabilidade‌ ‌comercial?‌

Esse‌ ‌departamento‌ ‌é‌ ‌responsável‌ ‌por‌ ‌orientar‌ ‌ao‌ ‌gestor ‌quanto‌ ‌à ‌diminuição‌ ‌de‌ ‌gastos‌ ‌e‌ à ‌dinamização‌ ‌da‌ ‌sua‌ ‌receita.‌ ‌ ‌

É‌ ‌necessário‌ ‌estar‌ ‌atento‌, ‌ainda‌, ‌aos‌ ‌custos‌ ‌adicionais‌ ‌das‌ ‌mercadorias,‌ ‌tanto‌ ‌de‌ ‌estoque quanto‌ ‌de‌ ‌frete.‌ ‌

É‌ ‌fundamental‌ ‌a‌ ‌esse‌ ‌setor‌ ‌ter‌ ‌conhecimento‌ ‌detalhado‌ ‌e‌ ‌auxiliar‌ ‌a‌ ‌otimização‌ ‌dos‌ ‌gastos.‌ ‌

2- Onde‌ ‌se‌ ‌aplica‌ ‌esse‌ ‌ramo‌ ‌contábil?‌

Esse‌ ‌departamento‌ ‌atua‌ ‌diretamente‌ ‌à‌ ‌frente‌ ‌de‌ ‌negócios‌ ‌que‌ ‌lidam‌ ‌com‌ ‌a‌ comercialização‌ ‌de‌ ‌mercadorias.‌ ‌

Independente‌ ‌do‌ ‌porte‌ ‌da‌ ‌empresa‌, ‌é‌ ‌possível‌ ‌se‌ ‌beneficiar‌ ‌da‌ ‌organização‌ ‌que‌ ‌a‌ contabilidade‌ ‌comercial‌ ‌‌oferece.‌ ‌

A‌ ‌atuação‌ ‌não‌ ‌se‌ ‌aplica‌ ‌a‌ ‌empresas‌ ‌voltadas‌ ‌para‌ ‌produção‌ ‌e‌ ‌para serviços, mas ‌diretamente‌ ‌aos‌ ‌comércios‌ ‌varejistas,‌ ‌os‌ ‌quais‌ ‌vendem‌ ‌diretamente‌ ‌ao‌ ‌público‌ ‌final, como‌, ‌por‌ ‌exemplo:‌ ‌

  • Restaurantes;‌ ‌
  • Supermercados;‌ ‌
  • Lojas‌ ‌de‌ ‌roupas;‌ ‌
  • Lojas‌ ‌de‌ ‌eletrodomésticos.‌ ‌

3-‌ ‌Qual‌ ‌a‌ ‌importância‌ ‌da‌ ‌contabilidade‌ ‌para‌ ‌as‌ ‌empresas?‌

O‌ ‌trabalho‌ ‌de‌ ‌um‌ ‌contador‌ ‌não‌ ‌se‌ ‌limita‌ ‌apenas‌ ‌a‌ ‌emitir‌ ‌guias‌ ‌tributárias‌ ‌ou‌ ‌a‌ ‌deduzir‌ ‌impostos.‌ ‌ ‌

Sua‌ ‌atuação‌ ‌passa‌ ‌pelos‌ ‌processos‌ ‌fiscais‌ ‌e‌ ‌tem‌ ‌papel‌ ‌importante‌ ‌na‌ ‌gestão‌ ‌financeira.‌ ‌

Ter‌ ‌esse‌ ‌profissional‌ ‌em‌ ‌sua‌ ‌empresa‌ ‌é‌ ‌uma‌ ‌garantia‌ ‌maior‌ ‌de‌ ‌tranquilidade‌ ‌quanto‌ ‌aos‌ ‌planejamentos‌ ‌e‌ ‌aos custos.‌ ‌

Esse‌ ‌profissional‌ ‌é‌ ‌essencial‌ ‌no‌ ‌controle‌ ‌de‌ ‌tudo‌ ‌o‌ ‌que‌ ‌entra‌ ‌e‌ ‌do‌ ‌que‌ ‌sai‌ ‌de‌ ‌seu‌ ‌negócio,‌ ‌facilitando‌ ‌a‌ ‌gestão.‌ ‌

Nós, da Nacional, trabalhamos para que sua empresa possa crescer e prosperar

O‌ ‌profissional‌ ‌que‌ ‌se‌ ‌dedica‌ ‌à ‌‌contabilidade‌ ‌comercial‌ ‌‌de‌ ‌uma‌ ‌empresa ‌atua‌ ‌como‌ ‌um‌ gestor‌ ‌financeiro, já‌ ‌que‌ ‌a‌ ‌execução‌ ‌de‌ ‌seu‌ ‌trabalho‌ ‌é‌ ‌pautada‌ ‌em‌ ‌números‌ ‌e‌ ‌na‌ ‌otimização‌ ‌dos‌ ‌gastos, que‌ ‌muitas‌ ‌vezes‌ ‌se‌ ‌dão‌ ‌de‌ ‌forma‌ ‌desnecessária – e ‌isso‌ ‌compromete‌ ‌os‌ ‌rendimentos‌ ‌de‌ um‌ ‌empreendimento.‌ ‌

Para‌ ‌evitar‌ ‌que‌ ‌a‌ ‌empresa‌ ‌passe‌ ‌por‌ ‌esse‌ ‌tipo‌ ‌de‌ ‌situação,‌ ‌é‌ ‌viável‌ ‌investir‌ ‌na‌ contratação‌ ‌de‌ ‌um‌ ‌profissional‌ ‌para‌ ‌essa‌ ‌área.‌ ‌

A‌ ‌terceirização‌ ‌pode‌ ‌ser‌ ‌um‌ ‌caminho‌ ‌mais‌ ‌barato‌ ‌e‌ ‌mais‌ ‌eficiente, isso‌ ‌porque ‌as‌ empresas‌ ‌especializadas‌ ‌em‌ ‌contabilidade‌ ‌oferecem‌ ‌variadas‌ ‌soluções.‌ ‌

Convém‌ ‌pensar‌ ‌nessa‌ ‌possibilidade!‌ ‌

Você ainda precisa de alguma informação sobre o assunto? Então entre agora mesmo em contato com a gente!

Contratar um profissional de contabilidade comercial para minha empresa!

Saiba Agora Como Estar Em Dia Com O Fisco Federal E Como Evitar Prejuizos Para O Seu Negocio Blog - Nacional Contabilidade

Fiscalização Federal: 3 Formas comprovadas de evitar dor de cabeça com o FISCO

Entenda agora o que fazer para evitar problemas relacionados à fiscalização federal de tributos em sua empresa!

Cuidado! Não estar preparado para a fiscalização federal pode trazer sérios problemas para o seu negócio. Leia o artigo que preparamos e saiba mais.

Para não ser pego de surpresa em uma fiscalização federal, é imprescindível que a empresa tenha um calendário fiscal.

Somado a isso, é fundamental que ela realize auditorias periodicamente e que contrate uma empresa especializada em contabilidade, já que o sistema tributário do país é complexo e exige total atenção dos empreendimentos.

Eventuais falhas podem gerar multas altíssimas e, em casos mais graves, até mesmo a suspensão dos alvarás de funcionamento. 

Para te ajudar, levantamos as principais práticas que precisam ser adotadas para evitar riscos.

Elas vão te ajudar a gerir seu negócio de forma saudável e rentável.

Vamos lá? 

Entenda os principais problemas levantados em uma fiscalização federal e as dicas para evitá-los

Veja os principais erros que as empresas cometem e que podem gerar complicações em uma possível fiscalização federal:

  • Interpretação equivocada ou descumprimento às leis e às diretrizes que regem os procedimentos contábeis;
  • Desorganização do arquivo de notas fiscais;
  • Não utilização de sistemas de gestão tributária;
  • Não se preparar para receber o fisco;
  • Não recolher tributos;
  • Erros na codificação de mercadorias e no pagamento de tributos.

​Depois de conhecer esses detalhes importantes, você vai conferir as dicas para evitar esses e outros problemas fiscais.

Confira:

1- Tenha um calendário fiscal

Estar atento às datas de cumprimento das obrigações fiscais é fundamental para não deixar passar os prazos de pagamento.

Essas responsabilidades precisam seguir o calendário (previamente estabelecido pela Receita Federal e pela Secretaria da Fazenda local).

Para estar sempre em dia com as despesas, monte um calendário com todas as datas e compartilhe com a equipe responsável.

2- Faça auditorias internas regularmente

É possível evitar problemas com a fiscalização federal, mas, para isso, eles precisam ser identificados e solucionados com antecedência. 

E é neste momento que as auditorias têm um papel imprescindível. Elas precisam estar atentas às questões contábeis, fiscais e trabalhistas.

Além de evitar sanções futuras, esse processo facilita o levantamento de informações fundamentais para a lucratividade da empresa.

3- Contrate uma empresa de contabilidade especializada

A presença de um profissional de contabilidade é importante no que se refere ao auxílio às questões tributárias e mantém a organização fiscal dos negócios.

Uma empresa especializada em contabilidade vai te ajudar a garantir que suas ações estão de acordo com as diretrizes fiscais e tributárias.

Contudo, é importante contar com profissionais que possuem amplo conhecimento na área e que se atualizam frequentemente.

Além das orientações acima, você precisa, ainda:

    • Manter a equipe atualizada – isso devido às rápidas mudanças na legislação;
  • Fazer denúncias espontâneas em caso de erros para evitar multas;
  • Buscar ajuda tecnológica para otimizar os processos;
  • Entender a diferença entre elisão (prática legal) e evasão fiscal (prática ilegal).

Nacional: damos a você o apoio manter a conformidade legal da sua empresa

Situar-se do cenário atual da empresa e agir rapidamente para corrigir possíveis erros são ações que evitam punições e multas na fiscalização federal.

Os trabalhos preventivos são essenciais e permitem que a empresa funcione dentro das diretrizes legais.

Somado a isso, podem fornecer importantes dados para auxiliá-lo no setor comercial, tornando seu empreendimento mais lucrativo.

Ocorre que, muitas vezes, as empresas precisam de auxílio para desempenhar funções burocráticas, já que o tempo – ou a equipe – é curto. A alternativa é contratar mão de obra terceirizada para a contabilidade.

Escolha bons profissionais ou instituições e fique tranquilo quanto à gestão fiscal do negócio.

ENTRAR EM CONTATO!