Descubra Como O Benchmarking Contabil Pode Ajudar A Potencializar Os Resultados Do Seu Negocio Blog - Nacional Contabilidade

REVELADO. COMO O BENCHMARKING CONTÁBIL VAI LEVAR O SEU NEGÓCIO A UM OUTRO NÍVEL

Descubra como o benchmarking contábil pode ajudar a potencializar os resultados do seu negócio

O benchmarking contábil é uma estratégia que deveria ser usada por todas as empresas de contabilidade!

Aliás, o benchmarking, deveria ser usado por todas as empresas, afinal, é uma ótima forma de fazer um upgrade no seu negócio! 

O conceito de benchmarking, está em buscar referências em modelos de empresas que deram muito certo.

E assim, usá-las como referência em seu negócio e dessa forma, melhorando o seu desempenho e sua performance.

Dessa maneira, quando entramos no conceito de contabilidade, é você fazer pesquisas no mercado e usar isso como um meio de fazer você crescer.

Melhor o seu negócio! Leia o texto abaixo! 

Implementando o benchmarking contábil no seu negócio

Assim como falamos há pouco, o conceito e a proposta do benchmarking contábil é você ter uma visão 360º.

Ou seja, nesse sentido, você precisa olhar a concorrência, analisar friamente a cada um deles e olhar para o seu negócio.

E dessa maneira, ver como você pode melhorar o seu empreendimento e ter uma ótima performance!

Através disso, você consegue identificar:

  • As melhores propostas;
  • Formas de trabalho;
  • Atuação;
  • Investimento.

Ou seja, o benchmarking contábil é um grande fator agregador ao seu negócio.

O benchmarking não é um plágio, mas sim uma inspiração

Podemos afirmar com tranquilidade que o benchmarking contábil não se trata de você plagiar os seus concorrentes!

Não, mas é claro que não! 

Afinal, cada um tem um negócio único e ainda que muitos queiram copiar, não é bem assim, não é mesmo?

Esse processo deve ser visto como uma forma de você olhar para os resultados dos seus concorrentes, analisar com o seu, buscar a melhor forma e também obter bons resultados semelhantes ao deles. 

Dessa maneira, com esse conhecimento sobre como eles tem trabalho e o que eles fazem ou deixam de fazer, irá te dar um grande norte!

E por fim, ter um ótimo feedback quando conversado com a sua equipe.

Processo de implementação do benchmarking no seu negócio

A verdade, é que sabemos que nada pode ser posto em prática da noite para o dia, muito menos quando não se tem planejamento. 

E no que diz respeito ao benchmarking contábil não é diferente.

É por isso que iremos listar algumas coisas que você deve considerar:

  • Tenha planejamento;
  • Analise e colete dados;
  • Tenha um plano de ação;
  • Faça uma reavaliação da sua estratégia;

São passos importantes para te ajudar não apenas a pôr em prática, mas também a ter sucesso!

Conclusão

O benchmarking contábil como falamos muitas vezes no decorrer do texto, é algo muito valioso para a sua empresa.

Além disso, você pode encontrar modelos de benchmarking como:

Interno: Visa uma análise minuciosa, onde os setores são analisados e depois dos resultados, pontuações onde podem melhorar são realizadas.

Competitivo: A ideia é olhar para os concorrentes e ser melhor que eles.

Funcional: Aqui acontece a comparação do processo de outros negócios de diversos segmentos, a fim de aprender com eles.

Cooperação: Visa construir uma parceria entre dois negócios especializados, mas em segmentos diferentes.

São muitas formas para você pensar e implementar e descobrir qual performam melhor com você e o seu negócio! 

CLIQUE AQUI E TENHA AUXÍLIO PARA IMPLEMENTAR O BENCHMARKING CONTÁBIL!

Calculo De Fatas De Funcionarios Entenda Como Fazer Blog - Nacional Contabilidade

Saiba de uma vez como realizar o cálculo de faltas de seus funcionários

Veja o que é indispensável no cálculo de faltas de funcionários CLT

Você quer saber como realizar o cálculo de faltas de funcionários? Leia o artigo que preparamos e descubra!

O cálculo de faltas de funcionários leva em conta não apenas o desconto do dia de trabalho, mas também do DSR (Descanso Semanal Remunerado).

Nesse sentido, é importante destacar que as faltas passíveis de descontos são aquelas cujo funcionário não consegue comprovar o motivo da ausência.

E qualquer dessas faltas pode gerar descontos, já que o abono não está previsto em lei, ficando facultado à empresa de descontar ou não.

Outra situação que não obriga a empresa a abonar a ausência é a apresentação de declarações de horas.

Estes e outros detalhes sobre cálculo de faltas de funcionários você confere na sequência deste artigo. Continue conosco.

Como se dá o cálculo de faltas de funcionários?

Como já foi dito anteriormente, as faltas injustificadas geram descontos nos dias trabalhados e no DSR.

Tratando-se do DSR, ele prevê o descanso por 24 horas a cada semana trabalhada e o colaborador recebe durante esse período.

Agora vamos entrar no ponto crucial deste material: o cálculo de faltas de funcionários.

Vamos lá?

1- Como calcular o desconto da falta no salário

O cálculo de faltas de funcionários se dá em 3 etapas. São elas:

  • Descubra o valor salarial mensal;
  • Divida o valor do salário por trinta dias. Nesta contagem você vai obter o valor salarial diário.
  • Multiplique o número de faltas, no mês para descobrir qual o valor será descontado.

Assim é possível achar o valor a ser descontado.

2- Como calcular o desconto da falta no DSR

Abaixo vamos incluir algumas fórmulas para que você possa realizar esse cálculo, visto que a maneira de se chegar ao valor pode mudar:

1.  Funcionários mensalistas

(valor do salário mensal ÷ trinta dias) x qtd de domingos e feriados existentes no mês

2.  Funcionários que atuam por comissão

(somatório dos valores de comissões do mês ÷ qtd de dias úteis existentes no mês) x qtd de domingos e feriados existentes no mês

3.  Colaboradores que são horistas

(valor do somatório das horas normais trabalhadas no mês ÷ número total de dias úteis) x quantidade de domingos e feriados existentes no mês x valor total da hora normal que é paga

3- Falta injustificada pode gerar demissão?

Sim, a falta sem justificativas amparadas por lei pode levar o empregador a rescisão contratual. 

Contudo, cada empresa adota uma postura e possui um nível de tolerância.

4- Falta injustificada pode levar a justa causa?

Segundo o Artigo 482 do Decreto Lei nº 5.452 da CLT, a falta sem justificativa pode acarretar justa causa. 

Este comportamento pode ser encarado como falta de comprometimento por parte do empregado.

Geralmente, antes de chegar a este ponto, o colaborador é advertido pela conduta.

A legislação está a favor do empregador nesta situação, e se assim optar, ele pode aplicar a justa causa do funcionário.

Nacional: conteúdo para simplificar a sua gestão

O cálculo de faltas de funcionários se dá por uma conta simples, contudo é preciso ter alguns cuidados.

Não só neste sentido. A opção por descontos ou advertências ao colaborador, precisam estar amparadas por lei.

Ações em desfavor do funcionário, cuja a lei não abarca, são passíveis de penalidade, até mesmo processos trabalhistas.

Por isso, é importante ter ao seu lado pessoas especializadas em gestão de pessoas. 

E que vão dar todo apoio e propor soluções eficientes.

Recorra a terceirização deste serviço, evite erros ou falhas que possam lhe render problemas maiores.

Tenha mais tempo para se dedicar às vendas.

E então, você gostou do nosso post? Compartilhe em suas redes sociais!

ENTRAR EM CONTATO!

Sera Que Sua Empresa Pode Mesmo Operar Com Prejuizos Acumulados Leia E Entenda Blog - Nacional Contabilidade

Saiba se sua empresa pode operar com prejuízos acumulados!

Uma empresa pode operar com prejuízos acumulados?

Leia agora o artigo que preparamos e saiba se sua empresa pode, de fato, operar com prejuízos acumulados.

Os prejuízos acumulados referem-se à incidência de resultados negativos por um determinado período em uma empresa, ou seja, ausência de lucros.

A justificativa é que tanto os lucros, quanto os prejuízos são peças essenciais ao lançamento do balanço patrimonial empresarial, na verdade, os esforços do contador também são direcionados para entender se a sua empresa obteve lucro ou prejuízo em um período.

A observância deste indicador é fundamental para a tomada de decisão dos gestores, na contenção de gastos, por exemplo.

A permanência das atividades em meio a este cenário não deve permanecer por muito tempo.

Para entender melhor, sugerimos que acompanhe este artigo. Nele você terá acesso às informações sobre prejuízos acumulados.

Prejuízos acumulados: entenda o que significa e como ele impacta as finanças de um empreendimento

Este indicador consiste no saldo contábil negativo da organização.

Em outras palavras, diz respeito ao acumulado de saldos negativos de uma empresa em um dado período.

Abaixo você confere o impacto deste termo na situação contábil de um empreendimento. Confira!

1-Prejuízos fiscais: essa é uma cobrança injusta?

É basicamente como se o resultado positivo se sobrepôs se ao negativo. Sendo que para isso, o valor total sofreria alteração. 

Naturalmente, se o lucro e o prejuízo são lançados em uma mesma conta, a tendência é de um abatimento.

Assim, o lucro na verdade, estará pagando o prejuízo, caso ele seja maior.

2- Para onde vai o prejuízo?

O lucro pode ser dividido entre os investidores, ou alocados em contas bancárias. 

Em contrapartida, o prejuízo só pode ser sanado pelo lucro, e não oferece possibilidade de ser distribuído ou remanejado.

Se o lucro não for suficiente, a dedução vai para a reserva de lucros e pode atingir até a reserva legal.

O ideal é pagar as dívidas com o saldo positivo que estiver disponível.

Não faz sentido fechar o mês no vermelho com dinheiro em conta.

3- Prejuízos acumulados e o IR

Os lançamentos de lucros ou prejuízos acumulados são parte integrante do patrimônio líquido da empresa. 

Já que a tributação incide sobre o lucro, é essencial que estes dados sejam repassados aos órgãos reguladores.

A Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados é o meio de encaminhar estes dados ao órgão da esfera federal. 

Neste relatório é apontado o resultado após a geração do lucro.

Estas regras devem ser cumpridas pelos integrantes dos seguintes regimes tributários.

  • Sociedades limitadas; 
  • Empresas optantes pelo Lucro Real.

Em resumo, estas são as empresas de grande porte que estão no mercado.

Esta regra é regulamentada pela lei do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ). 

O não cumprimento destas determinações podem gerar multas aos gestores.

Nacional: nosso objetivo é tornar o seu negócio mais lucrativo

A complexidade das ações contábeis que são direcionadas a diagnosticar a situação empresarial é incontestável.

Mas dá para simplificar a sua ocorrência, junto com a experiência dos profissionais de contabilidade.

Não só os prejuízos acumulados, mas diversos outros termos e documentos são essenciais à atividade econômica.

Tanto para manter-se atento às obrigatoriedades, quanto para se embasar na tomada de decisões. 

Para ter tranquilidade em seus processos burocráticos, basta ir em busca de quem é referência no mercado.

Sucesso na caminhada empreendedora.

Gostou do nosso artigo? Que tal compartilhá-lo em suas redes sociais?

ENTRAR EM CONTATO!

Despesas Correntes Entenda Como Lidar Com Elas E Economizar Mais Em Seu Negocio Blog - Nacional Contabilidade

Como lidar com as despesas correntes em minha empresa?

DESPESAS CORRENTES: O JEITO CERTO DE RESOLVER ESSE PROBLEMA, SEM PREJUDICAR A SUA EMPRESA

Entenda o que são despesas correntes e como lidar com elas

As despesas correntes desafiam as empresas privadas de diferentes segmentos a manterem as contas em dia durante o ano. 

Pois com uma redução de custos de manutenção é possível aumentar a lucratividade do negócio.

Os benefícios são inúmeros, no entanto, é necessária uma execução consciente e estratégica.

Para não comprometer a qualidade dos serviços e produtos ofertados. 

Neste artigo, você vai entender a importância do controle de despesas correntes.

Fique conosco!

Despesas correntes: como reduzi-las?

Podemos entender como despesas correntes sendo aqueles gastos que ocorrem periodicamente dentro de um ambiente empresarial. Como exemplo é possível citar:

  • Despesas com pessoal;
  • Despesas com água;
  • Energia;
  • Aluguel;
  • Telefone.

Lembrando que, na contabilidade pública, elas possuem um conceito específico, mas, no contexto do nosso artigo, utilizamos “despesas correntes” como sinônimo de despesas cotidianas, corriqueiras.

Nesse sentido, vê-se a necessidade de enxugá-las, como forma de usar os recursos com mais eficiência, visto que eles costumam trazer e ser sinônimos de problemas como:

  • Ausência de otimização de processos;
  • Desperdício de materiais usados no dia a dia;
  • Número alto de defeito na produção;
  • Contratos de serviços acima do que é oferecido pelo mercado
  • Despesas fixas muito altas

É papel do gestor identificar onde estão os gargalos e quais medidas de contenção precisam ser tomadas.

Abaixo você vai conferir como solucionar estes problemas produtivos.

1. Analise os processos internos

Esta ação pode ser complexa e demorada, mas é essencial. 

Primeiramente é preciso mapear toda a empresa, feito isso, é a hora de identificar os gastos desnecessários que podem ser cortados.

2. Acompanhe o fluxo de caixa

Faça uma análise criteriosa do fluxo de caixa. Dessa forma, será possível visualizar os gastos mais altos e começar a monitorá-los. Neste documento estão detalhados tudo o que entra e o que sai da empresa.

A partir desta análise, procure entender porque os gastos estão tão altos em certas categorias.

3. Busque negociar contratos vigentes

Em sua análise você pode concluir que algumas condições de fornecedores não são mais benéficas, sendo assim, busque negociar estas condições, caso o fornecedor dificulte, convém ir em busca de novos parceiros.

Ao analisar a viabilidade da continuidade de um contrato, é preciso levar em conta:

  • Valores praticados;
  • Parcelas negociadas;
  • Taxas de juros;
  • Reajuste anual.

Além dessas medidas, o controle das despesas correntes se dá também, por meio de:

  • Aluguel de equipamentos;
  • Pesquisas de preços;
  • Parcerias com fornecedores;
  • Contenção de desperdícios;
  • Serviços compartilhados;
  • Controle o estoque.

Nacional: podemos ajudar sua empresa a ser mais lucrativa

O controle das despesas correntes é um mecanismo fundamental para o bom andamento dos negócios.

Esta análise precisa ser feita de forma criteriosa, a fim de, preservar a qualidade dos produtos e serviços

Uma consultoria contábil pode oferecer inúmeros benefícios neste sentido. 

Outra alternativa que pode ser eficiente é a terceirização de uma empresa de contabilidade, que cuide deste departamento.

Dando assim, maior liberdade para que os gestores se engajem nas estratégias de vendas.

Sem contar que, os relatórios produzidos pelos contadores podem dar informações privilegiadas, que favoreçam a tomada de decisão dos empreendedores.

ENTRAR EM CONTATO!

Como Escolher A Melhor Forma De Processar Folha De Pagamento Semanal Quinzenal Ou Mensal Blog - Nacional Contabilidade

Processar folha de pagamento – qual a melhor forma?

Como escolher a melhor forma de processar folha de pagamento: semanal, quinzenal ou mensal?

O processamento de folha de pagamento é um dos processos mais importantes dentro de um RH, sendo assim, é preciso encontrar a melhor forma de realizá-lo

Ao processar a folha de pagamento, é preciso levar em conta o levantamento das incidências salariais de cada colaborador. 

Sendo assim, são lançados os valores correspondentes a proventos e descontos, sendo a diferença entre ambos o valor a ser recebido.

Além disso, é importante lembrar que esse processamento pode acontecer de forma mensal, quinzenal ou semanal. 

Tudo depende de qual modalidade de pagamento o gestor opta ou se ele vai dar alternativas ao colaborador.

Nesse sentido, geralmente, o departamento pessoal é o responsável por tal função, mas nem sempre ele está instalado na empresa…

Portanto, neste artigo, você vai entender por que algumas organizações optam por terceirizar este serviço.

Fique conosco!

Descubra quais as formas de processar a folha de pagamento de seus colaboradores

O processo de gestão das folhas de pagamento de uma empresa envolve diversas questões.

Afinal, é nesse documento em que devemos registrar os seguintes itens:

  • Desconto de plano de saúde;
  • Descontos de vales transporte e refeição;
  • Proventos e bonificações;
  • Descontos de impostos; entre outros.

Porém, além dessas estipulações, os gestores têm a liberdade de decidir sobre a periodicidade do fechamento das folhas e do pagamento dos colaboradores.

Sendo assim, confira os tópicos abaixo e entenda as individualidades de cada conceito sobre processar folha de pagamento:

1- Folha Mensal

Este tipo de folha permite a apuração de horas por meio do controle de ponto, visualização das marcações, acertos e relatórios.

2- Folha Complementar

Esta folha oferece a possibilidade de pagar pendências de uma folha que já foi encerrada.

3- Complementar de Dissídio 

Faz um novo cálculo de competências do período do dissídio coletivo.

4- Pagamento de Dissídio

É a consolidação de todos os cálculos de dissídio para os devidos pagamentos e recolhimentos tributários.

5- Complementar Rescisão

Cálculo que complementa uma rescisão, incorporando os saldos na competência relacionada ao mês da rescisão efetiva.

6- Folha Semanal

Efetua o pagamento de forma semanal, podendo ser a qualquer momento dentro do período.

Para fins de cálculo, a contagem de tributos é feita sempre na última semana.

7- Adiantamento de 13º Salário

Efetua o pagamento do adiantamento do 13º salário.

8- 13º Salário Integral

Efetua o pagamento total do 13º salário.

9- Folha Quinzenal

Faz-se dois pagamentos ao mês, na primeira e na segunda quinzena.

Aqui o fechamento dos impostos se dá sempre na última quinzena.

10- Adiantamento Salarial

Processa os valores do adiantamento salarial. 

Normalmente, é previsto em decisão sindical ou deliberadamente pela organização.

11- Participação nos Lucros

Este cálculo refere-se à participação dos lucros na empresa. 

Neste caso, a tributação é independente e não está atrelada à folha de pagamento.

12- Especiais

Permite pagamentos diferentes dentro da mesma competência, sendo os valores acrescidos à folha mensal de modo a gerar os impostos devidos.

13- Reclamatória Trabalhista

Neste tipo de cálculo, faz-se necessário o contato legal e jurídico.

Conte com o suporte da Nacional Contabilidade!

Para processar folha de pagamento, são propostos variados moldes e periodicidade, sendo assim, a escolha depende do empregador ou, ainda, do que preveem os órgãos sindicais. 

Desse modo, em alguns momentos, os gestores precisam de orientação quanto a esta conduta, que pode interferir diretamente nas finanças do empreendimento.

Sendo assim, uma consultoria contábil e de gestão de pessoas pode colaborar para que os processos ocorram de forma eficiente.

Portanto, não hesite em contar com o suporte dos profissionais altamente capacitados e experientes da Nacional!

Nossa equipe poderá propor soluções nos mais delicados momentos com a assertividade necessária, então, entre em contato conosco agora mesmo!

ENTRAR EM CONTATO!

Precisou Dar Ferias Coletivas Entao Veja Isso Blog - Nacional Contabilidade

Férias coletivas – tudo que você precisa saber sobre o assunto

Precisou dar férias coletivas? Então veja isso!

Antes de dar férias coletivas para seus funcionários, é muito importante se informar para evitar erros

As férias coletivas consistem em um período de descanso destinado a um quadro total de funcionários ou a um setor de uma empresa.

Elas não devem ser concedidas a um grupo determinado, ou seja, excluindo os demais, já que substitui as férias individuais.

Nesse sentido, esse recurso vem sendo muito utilizado, sobretudo durante a pandemia causada pela covid-19.

Afinal, mesmo que de uma maneira forçada, muitas pessoas tiveram que ficar afastadas de suas atividades profissionais nesse período.

Entretanto, mesmo que esse modelo favoreça alguns aspectos, ele também pode causar muita dúvida, portanto, neste artigo, vamos esclarecer estes questionamentos.

Sendo assim, continue conosco e entenda como proceder em meio à concessão desse benefício.

O que um gestor precisa saber sobre férias coletivas?

Para seguir os parâmetros da legalidade, a concessão desse benefício precisa respeitar alguns fatores.

Por esse motivo, ao decorrer deste texto, você vai entender como funciona cada um deles. Vamos lá?

1- O que são férias coletivas?

Este benefício é concedido pelo empregador e não pode ser dado ao colaborador a escolha de não aderi-lo.

No entanto, a empresa precisa cumprir algumas regras para que o processo aconteça de acordo com a legislação.

Nesse sentido, este benefício precisa ser destinado a toda empresa ou a um determinado setor e não apenas a alguns colaboradores.

2- Como funciona a concessão de férias coletivas?

As férias coletivas substituem as férias individuais e, após o seu gozo, retoma-se a contagem de 12 meses para nova concessão.

Referente ao seu pagamento, ele se dá da mesma maneira que o das férias convencionais.

Sendo assim, é pago o adicional de ⅓  dois dias antes de iniciar o período de descanso e complementa-se com os demais pagamentos.

3- Quantos dias podem ser concedidos de férias coletivas?

A exemplo do período de férias individuais, as coletivas podem ser dadas em 2 momentos distintos.

Respeitando sempre o mínimo de 10 e o máximo de 30 dias por período.

4- Quais são os cuidados necessários ao conceder esse tipo de férias?

A comunicação sobre o benefício deve ocorrer pelo menos 15 dias antes das férias serem iniciadas.

Devem estar cientes:

Portanto, é preciso atentar-se aos cálculos para que a remuneração seja feita da forma correta.

5- Como proceder com os funcionários que não completaram 12 meses na empresa e não têm período aquisitivo de férias?

Nesse caso, as férias devem ser dadas de forma proporcional ao tempo de casa. 

O seu período aquisitivo também zera após o gozo, retomando assim a contagem de 12 meses para novas férias.

Se o período de férias proporcional for menor que o período de férias coletivas, lança-se a diferença como licença remunerada.

Conte com o suporte assertivo da Nacional Contabilidade!

As férias coletivas podem ser uma excelente alternativa tanto em momentos de crise quanto em períodos sazonais.

Além disso, são adotadas em épocas festivas, como festas de fim de ano, carnaval, entre outras.

O gestor é quem decide por conceder este benefício, mas é prudente que o colaborador seja avisado com antecedência para que possa se programar e usar este momento para descansar com os familiares, desligando-se da rotina profissional.

Então, para garantir que essa e outras decisões sejam tomadas de forma adequada, os gestores podem terceirizar o seu departamento pessoal.

Os profissionais terceirizados podem oferecer resultados positivos em relação à execução do negócio, portanto não hesite em nos contatar e garantir o suporte que precisa para ter sucesso!

Estamos esperando você!

ENTRAR EM CONTATO!

Saiba Agora Como Estar Em Dia Com O Fisco Federal E Como Evitar Prejuizos Para O Seu Negocio Blog - Nacional Contabilidade

Fiscalização Federal: 3 Formas comprovadas de evitar dor de cabeça com o FISCO

Entenda agora o que fazer para evitar problemas relacionados à fiscalização federal de tributos em sua empresa!

Cuidado! Não estar preparado para a fiscalização federal pode trazer sérios problemas para o seu negócio. Leia o artigo que preparamos e saiba mais.

Para não ser pego de surpresa em uma fiscalização federal, é imprescindível que a empresa tenha um calendário fiscal.

Somado a isso, é fundamental que ela realize auditorias periodicamente e que contrate uma empresa especializada em contabilidade, já que o sistema tributário do país é complexo e exige total atenção dos empreendimentos.

Eventuais falhas podem gerar multas altíssimas e, em casos mais graves, até mesmo a suspensão dos alvarás de funcionamento. 

Para te ajudar, levantamos as principais práticas que precisam ser adotadas para evitar riscos.

Elas vão te ajudar a gerir seu negócio de forma saudável e rentável.

Vamos lá? 

Entenda os principais problemas levantados em uma fiscalização federal e as dicas para evitá-los

Veja os principais erros que as empresas cometem e que podem gerar complicações em uma possível fiscalização federal:

  • Interpretação equivocada ou descumprimento às leis e às diretrizes que regem os procedimentos contábeis;
  • Desorganização do arquivo de notas fiscais;
  • Não utilização de sistemas de gestão tributária;
  • Não se preparar para receber o fisco;
  • Não recolher tributos;
  • Erros na codificação de mercadorias e no pagamento de tributos.

​Depois de conhecer esses detalhes importantes, você vai conferir as dicas para evitar esses e outros problemas fiscais.

Confira:

1- Tenha um calendário fiscal

Estar atento às datas de cumprimento das obrigações fiscais é fundamental para não deixar passar os prazos de pagamento.

Essas responsabilidades precisam seguir o calendário (previamente estabelecido pela Receita Federal e pela Secretaria da Fazenda local).

Para estar sempre em dia com as despesas, monte um calendário com todas as datas e compartilhe com a equipe responsável.

2- Faça auditorias internas regularmente

É possível evitar problemas com a fiscalização federal, mas, para isso, eles precisam ser identificados e solucionados com antecedência. 

E é neste momento que as auditorias têm um papel imprescindível. Elas precisam estar atentas às questões contábeis, fiscais e trabalhistas.

Além de evitar sanções futuras, esse processo facilita o levantamento de informações fundamentais para a lucratividade da empresa.

3- Contrate uma empresa de contabilidade especializada

A presença de um profissional de contabilidade é importante no que se refere ao auxílio às questões tributárias e mantém a organização fiscal dos negócios.

Uma empresa especializada em contabilidade vai te ajudar a garantir que suas ações estão de acordo com as diretrizes fiscais e tributárias.

Contudo, é importante contar com profissionais que possuem amplo conhecimento na área e que se atualizam frequentemente.

Além das orientações acima, você precisa, ainda:

    • Manter a equipe atualizada – isso devido às rápidas mudanças na legislação;
  • Fazer denúncias espontâneas em caso de erros para evitar multas;
  • Buscar ajuda tecnológica para otimizar os processos;
  • Entender a diferença entre elisão (prática legal) e evasão fiscal (prática ilegal).

Nacional: damos a você o apoio manter a conformidade legal da sua empresa

Situar-se do cenário atual da empresa e agir rapidamente para corrigir possíveis erros são ações que evitam punições e multas na fiscalização federal.

Os trabalhos preventivos são essenciais e permitem que a empresa funcione dentro das diretrizes legais.

Somado a isso, podem fornecer importantes dados para auxiliá-lo no setor comercial, tornando seu empreendimento mais lucrativo.

Ocorre que, muitas vezes, as empresas precisam de auxílio para desempenhar funções burocráticas, já que o tempo – ou a equipe – é curto. A alternativa é contratar mão de obra terceirizada para a contabilidade.

Escolha bons profissionais ou instituições e fique tranquilo quanto à gestão fiscal do negócio.

ENTRAR EM CONTATO!

Saiba Quais Sao As Prncipais Obrigacoes Contabeis De Um Empreendimento Blog - Nacional Contabilidade

Obrigações contábeis: quais são?

Saiba quais são as principais obrigações contábeis de um empreendimento

Conhecer as obrigações contábeis é fundamental para evitar problemas com a legislação e eventuais irregularidades

Ao se pensar em abrir qualquer tipo de empreendimento, ou até mesmo tornar-se gestor de um já existente, é essencial que tenha ciência sobre a existência de algumas exigências a serem cumpridas durante a sua administração.

As obrigações contábeis do empreendedor são exigências que incluem cadastros, tributos, prestação de contas e entrega de declarações.

São, portanto, compromissos comuns para muitas empresas, independente do seu porte ou enquadramento jurídico.

Em meio às exigências comuns, há também as obrigações fiscais e contábeis para as diferentes atividades e regimes tributários.

Dessa maneira, nós, da Nacional Contabilidade, vamos abordar nos próximos tópicos quais são as obrigações contábeis de uma empresa.

Acompanhe!

Obrigações contábeis – atente-se à elas

As obrigações contábeis e fiscais do empreendedor começam desde o processo de abertura e legalização de sua empresa.

Nesse processo, o empreendedor deve fornecer todos os documentos e fazer o pedido de viabilidade de seu empreendimento.

Em seguida, deve escolher o tipo jurídico, fornecer dados específicos e definir o nome e a atividade a ser executada em sua empresa.

Sendo assim, após a obtenção das licenças e alvarás necessários – municipais, estaduais e federais – e com a posse do CNPJ, dá-se início, de forma regular, às atividades diárias.

Dentre as obrigações básicas, estão:

  • SPED Contábil: a Escrituração Contábil Digital tem prazo de envio até 31 de maio. A ECD serve para substituir o Livro Diário, Livros Balancetes Diários, Balanços, entre outros documentos.


Para as empresas enquadradas nos regimes tributários Lucro Real e Presumido, a ECD é obrigatória.

  • Balanço Patrimonial: com exceção dos microempreendedores individuais, todas as empresas precisam entregar o balanço patrimonial anualmente. Além dele, as obrigações fiscais estão associadas às questões contábeis do empreendimento.
  • Emissão de Notas Fiscais: obrigatórias para que o Governo possa identificar o CNPJ responsável pela transação. As NFs são emitidas em negociações de produtos ou serviços – sejam elas referentes à compra ou venda.
  • Escrituração Contábil Fiscal: implementada em 2014, a Escrituração Contábil Fiscal (ECF) é o documento que valida o cumprimento de todas as obrigações tributárias, além de fornecer dados e informações sobre o Imposto de Renda  Pessoa Jurídica e sobre a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido.

Entretanto, empresas enquadradas no Simples Nacional não possuem tal obrigação.

  • DEFIS: trata-se da Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais. É uma obrigação acessória a qual apenas os optantes pelo Simples Nacional devem cumprir.

Além do mais, existem outras obrigações tributárias e fiscais às quais você, empreendedor, precisa estar atento. São elas:

  • IRPJ;
  • IRRF;
  • DIRF;
  • DCTF; entre outras.

Vale ressaltar que, para facilitar a vida do empreendedor, existem diversos aplicativos de sistemas automatizados que podem ajudá-lo na organização de suas obrigações.

Além disso, contar com profissionais experientes pode ser um diferencial para evitar problemas.

Suporte contábil para auxiliar com as obrigações contábeis

Como podemos notar, as obrigações contábeis e fiscais são cruciais para a regularização de sua empresa. Afinal, o não cumprimento pode ser fatal para o funcionamento e para a realização de suas atividades.

Fato é que manter as obrigações em dia, além de cuidar das demais questões em sua gestão, é de extrema importância.

Dessa maneira, nós, da Nacional Contabilidade, podemos ajudá-lo na organização de sua empresa e cuidar das questões contábeis, enquanto você, empreendedor, foca nas questões referentes à produtividade.

Dispomos de profissionais preparados e experientes, com uma série de estratégias e soluções para atender às suas reais necessidades durante o cotidiano de seu negócio.

Tenha maior segurança, tranquilidade e confiança para tomar as decisões em seu dia a dia!

Conte com a Nacional Contabilidade

Contatar o nosso time de especialistas é bem simples…

Basta clicar no ícone do WhatsApp para ser direcionado ao nosso contato em seu aplicativo e falar com nossos profissionais.

Contratar um contador para estar em dia com as obrigações contábeis!

Entenda Como Funciona E Qual O Impacto Da Taxa Selic No Seu Negocio Blog - Nacional Contabilidade

Taxa Selic: guia para entender como funciona

O que é a Taxa Selic e como ela afeta o seu negócio?

Conheça a Taxa Selic e qual o impacto gerado em sua empresa

Taxa Selic, Sistema Especial de Liquidação e Custódia, é a taxa básica de juros que rege todas as demais.

O mercado financeiro depende do crédito ofertado pelas instituições financeiras para se manter em funcionamento.

Tais instituições, obviamente, escolherão os índices mais vantajosos, sendo que todo investimento disponibilizado é direcionado para o mercado ou para os títulos do governo. 

Essa preferência ou escolha é feita para cada centavo disponibilizado, como uma espécie de leilão: quem pagar mais juros, leva!

Portanto, saiba como as variações da Taxa Selic afetam o seu negócio. Leia mais a seguir!

Taxa Selic: oscilações e efeitos 

Taxa Selic: a cada 45 dias, os membros do Copom se reúnem, decidem, definem e informam o valor mais adequado.

As taxas de juros praticadas no mercado são baseadas nas taxas fixadas pelo governo e os percentuais cobrados sempre estarão acima dos valores informados.

Sendo assim, se o empresário precisa de crédito, quanto mais alta a Taxa Selic, mais altos serão os juros que ele terá de pagar.

As taxas altas levam bancos a esfriar em relação ao mercado, redirecionando o capital e investindo em títulos do governo.

Todos os setores produtivos dependem de uma Taxa Selic sob controle para serem competitivos e alcançarem prioridade de interesses.

Caso o governo queira atrair capital, pode elevar a taxa e, com isso, o mercado terá essa percepção imediatamente. Trata-se de um fator macroeconômico ao qual todos estão sujeitos.

Taxa Selic baixa + receio pelo futuro incerto = taxas de juros elevadas 

Além da oscilação da Taxa Selic, os bancos analisam os riscos de inadimplência, as margens de lucro e os gastos administrativos.

Esses fatores são determinantes para a rotina de negociações, especialmente com as incertezas geradas pela eclosão da pandemia em 2020, na qual os juros não baixaram.

Devido à ausência de garantias, falta aos bancos ânimo para se arriscarem: como os consumidores pagarão suas contas em meio à crise?

  • Desemprego;
  • Falência; 
  • Isolamento social e baixa movimentação;
  • Economia parada.

Todos esses fatores geram insegurança em reflexo ao cenário da crise, deixando todos em estado de alerta.

Desde os primeiros estudos em 1995, não se verificava tamanha intensidade do desejo do brasileiro em economizar.

Em maio, os depósitos superaram as retiradas de aplicação em R$ 37,2 bilhões. A redução do consumo foi sensivelmente sentida. 

Esse é um bom momento para quem deseja renegociar crédito: as instituições têm grande interesse em garantir seus investimentos.

As taxas de juros podem ser reduzidas; convém estar atento!

Conclusão

Não se iluda com o pensamento de que já pagou todos os seus empréstimos e não contratará mais por agora.

Sua empresa pode não precisar de crédito por ora, mas depende do mercado produtivo para negociar.

Produtos e mercadorias podem se tornar escassos frente à falta de meios e investimentos para produzir. A escassez pode se tornar, dessa forma, inevitável. 

Todos são atingidos como resultado do efeito cascata.

É preciso ter em mente que os bancos não são instituições filantrópicas, e onde mais puderem lucrar, aí investirão. 

Em meio à crise e às oscilações da Taxa Selic, a economia pode surpreender o mercado revelando oportunidades.

Alguns setores econômicos, como a alimentação delivery, por exemplo, ou os equipamentos para TI, tornaram-se artigos de primeira necessidade nos últimos tempos.

Em meio à crise, surge também a oportunidade.

O melhor a fazer é não se descuidar, pensar todo investimento, bem como todos os cortes, cuidadosamente.

Precisando saber mais sobre gestão e sobre assuntos como esse, ou desejando consultoria, contate-nos já!

ENTRAR EM CONTATO!